× ENTRAR CADASTRE-SE

Por Evelyn Gomes

Nós já falamos por aqui algumas vezes sobre a importância do agronegócio para economia, para o meio ambiente e para a segurança alimentar nacional e internacional, nesses temas como em muitos outros presentes no blog surgem números relacionados a exportação. Mas afinal, qual é a importância práticas das exportações?

As exportações trazem benefícios econômicos para um país como um todo porque geram receita, fomentando o crescimento e a manutenção de empregos e renda, promovem a qualificação da mão de obra disponível além de ser motor do desenvolvimento de parques industriais independente do setor produtivo. E, falando especificamente do agronegócio, as exportações já fazem parte do dia a dia de muitos produtores e além desses benefícios ele traz a diversificação de fonte de renda, ganhos e maior lucratividade já que não há mais a total dependência do mercado interno.

Contudo, é importante a realização de um planejamento para quem deseja exportar porque diversos requisitos devem ser avaliados como: capacidade produtiva e de exportação da empresa, consulta a respeito de barreiras tarifárias e não tarifárias, elaboração de um plano de internacionalização, analisar a competitividade do preço de exportação do produto, verificar se o produto está incluído em alguma preferência tarifária, em outras palavras, são alíquotas de impostos reduzidas tanto para importações quanto exportações através de Acordos Comerciais entre Brasil e os países destinatários, é possível fazer a consulta dessas alíquotas no SISCOMEX.

Essas não são as únicas exigências a serem cumpridas antes de se iniciar o processo de exportação, é necessário estar atento também as certificações, adequações tecnológicas, formas de comercialização, modalidades de pagamento e como fazer a promoção do produto no estrangeiro. Com todas as exigências cumpridas e análises realizadas é hora de iniciar as negociações, sejam elas realizadas diretamente entre vendedor e comprador ou indiretas, essas por sua vez podem ser feitas por meio de um agente exportador, filial de vendas no estrangeiro, sociedades de propósito específico (SPE), empresas comerciais exportadoras, Trading Companies, entre outros.

E, se interessou por exportar? Se sim, saiba que não está sozinho, isso porque as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 79, bilhões no primeiro semestre 2022, um valor recorde para o período, um crescimento superior a 29,4% em comparação com mesmo período de 2021, um dos fatores que explicam esse feito é a alta dos preços avaliada em 27,7%, enquanto houve um pequeno aumento de 1,3% no quantum exportado, isso é, nas séries mensais de exportações cujos índices seguem a metodologia dos índices de preços e quantum da Subsecretaria de Inteligência e Estatística de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

O agronegócio representou 48,3% do total de exportações durante os primeiros seis meses deste ano tendo fechado junho com um aumento de 31,2% em comparação com o ano anterior chegando à soma de US$ 15,71 bilhões dos quais o complexo da soja, café, carnes (frango e bovina) tiveram destaque, essas commodities fazem do Brasil destaque entre os demais países do globo ajudando com que o nosso país seja o quinto maior exportador do planeta.

Qual a sua experiência com exportação? Quer saber mais?

Conta para gente!