× ENTRAR CADASTRE-SE

O clima, é um fator limitante no plantio de muitas culturas, por isso é importante acompanhar diariamente as previsões meteorológicas e saber as nomenclaturas dos fenômenos climáticos que impactam desde a semeadura até a colheita. Informações bem coletadas e apuradas podem indicar as melhores culturas para cada tipo de clima e solo, a prevenção no aparecimento de pragas bem como a melhor época do ano para cada etapa de produção.

Sabendo disso, a CBC Agro trará em breve para a nossa plataforma boletins climáticos diários em parceria com a Atmos JR, neles estarão presentes previsões com 15 dias de antecedência, balanço hídrico e a tendência climática para os próximos 180 dias. Esses dados juntamente com o investimento em estudos de zoneamento climáticos são de suma importância e precisam ser realizados antes mesmo de iniciar o cultivo de qualquer tipo de plantio.

Para facilitar o acesso à informação e auxiliar nesses diagnósticos o Ministério da Agricultura; Pecuária e Abastecimento (MAPA) em parceria com outras instituições além do Embrapa, criou um o Painel de Indicação de Riscos do ZARC (Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos). Nesse painel estão presentes os períodos ideias de plantio e semeadura considerando as características de cada cidade, solo e ciclo cultivares.

Para entender melhor o ZARC e conseguir cruzar as informações com precisão, precisamos saber quais são as necessidades de cada planta nas diferentes etapas do processo, assim como informações sobre o clima predominante de cada região do país e suas características gerais. Isso porque, o Brasil tem dimensões continentais com a ocorrência de seis tipos de climas diferentes, mostramos no mapa e explicamos cada um deles abaixo:

  • Equatorial: presente na região amazônica, ao norte do estado de Mato Grosso e a oeste do Maranhão, está sob a ação da massa de ar equatorial continental que consiste em clima geralmente quente e úmido. As temperaturas médias são elevadas, entre 25ºC e 27ºC e uma amplitude térmica reduzida não ultrapassando 3ºC, as chuvas são abundantes podendo chegar até os 2.000 mm/ano, porém bem distribuídas ao longo dele. No inverno pode ocorrer um fenômeno conhecido como “friagem”, as temperaturas sofrem uma súbita queda nos termômetros;
  • Tropical: compreende toda a região central do país incluindo a porção oriental do Maranhão, grande parte do Piauí, porção ocidental da Bahía e de Minas Gerais além do estado de Roraima. As temperaturas são elevadas, entre os 18ºC e 28ºC com uma amplitude térmica que varia de 5ºC a 7ºC, e estações bem definidas. O inverno é ameno e seco enquanto o verão é quente e chuvoso, o volume de chuvas inclusive é alto, em média 1.500 mm/ano;
  • Tropical de Altitude: abrange trechos dos estados São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo dos quais estão entre os 500 e 1000 metros do planalto atlântico sudeste. Suas temperaturas são consideradas amenas, entre os 18ºC e 26ºC com uma amplitude térmica anual que varia de 7ºC a 9ºC. No verão acontecem poucas chuvas por conta da influência sofrida pela massa de ar tropical atlântica, já no inverno geralmente acontecem geadas por conta da influência da massa de ar polar atlântica;
  • Atlântico: Compreende toda a faixa litorânea desde o Ceará até o extremo leste São Paulo. Suas temperaturas variam entre os 18ºC e 26ºC e sofre ação direta da massa tropical atlântica que provoca chuvas intensas por ser quente e úmida;
  • Semiárido: clima presenteem quase todo o setor nordestino e os vales médios e inferiores do Rio São Francisco, a região que é conhecida como Polígono das Secas e que representa também 11% do território brasileiro de acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação). As temperaturas são elevadas, na média dos 27ºC, chuvas escassas e mal distribuídas ao longo do ano, 500 mm/ano, por sofrer influência da massa tropical atlântica.
  • Subtropical: clima das latitudes abaixo do trópico de capricórnio que compreende os estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e o extremo sul do Mato Grosso do Sul, apresenta temperatura média de 18ºC, amplitude térmica de 10ºC e volume de chuvas que varia entre os 1000 mm/ano e os 2000 mm/ano sendo bem distribuídas ao longo dele. Ainda há ocorrência frequente de geadas e por vezes nevadas.

Esses dados vão nos guiar na busca por dados complementares para definirmos o nosso plantio, ainda precisaremos ter conhecimento da temperatura do solo, umidade do ar e do solo, intensidade luminosa, intensidade e direção dos ventos, pressão atmosférica, relevo, altitude e entre outros.

Qual é o clima predominante da sua região? Já fez o seu estudo de Zoneamento Climático para as próximas safras?

Conta para a gente!