× ENTRAR CADASTRE-SE

Presidente da Abramilho dá receita para a boa comercialização

Estudo, planejamento e infraestrutura são os três ingredientes principais na receita de um dos maiores especialistas no mercado de milho do país. Em entrevista para a CBC Agronegócios, Allysson Paolinelli, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) e ex-ministro da Agricultura do Brasil dá sua receita para o produtor rural conseguir os melhores resultados na venda da safra de milho.

 

  1. Conheça o mercado regional

Os produtores rurais precisam observar o andamento da colheita no Brasil e no mundo e as escalas de produção de proteína animal. Outra orientação do presidente da Abramilho é estar atento às atualizações do mercado do agronegócio para, por exemplo, evitar que falte produtos em uma determinada época, mantendo a estabilidade na oferta.

 

Para quem está iniciando neste negócio, Paolinelli diz que o primeiro passo é fazer um extenso estudo sobre o mercado do milho na região da plantação, compreender como funciona a comercialização naquele lugar especificado. É importante analisar solo, clima, alta ou baixa produção, grande ou pequena procura pelo produto, por exemplo. Este estudo vai possibilitar um leque de alternativas para o produtor na hora de decidir como será sua produção.

 

  1. Planejamento

É importante ter em mente que a produção de milho se dá em duas etapas: a safra principal e a safrinha, cultivada depois da primeira safra de soja precoce. Paolinelli aponta que, atualmente, a safrinha está rendendo até o dobro da primeira safra, chegando a 70 milhões de toneladas.

 

“A alternativa criada pelo país de ter uma segunda safra, a safrinha, é muito importante para aumentar a produção e conseguir suprir a demanda. O milho é um produto que só vai crescer daqui por diante”, esclarece Paolinelli. “Os fornecedores compram milho e a soja para fazer a ração, sendo 70% milho e apenas 30% de soja. A expectativa é que a produção acompanhe”, finaliza.

 

  1. Infraestrutura

Duas safras bastante desenvolvidas em um ano rendem muito produto no comércio, o que significa uma desvalorização no valor final de cada saca, dependendo da época. Entre janeiro e março, logo após a colheita da primeira safra, o mercado está inundado de grãos. “O processo de comercialização funciona em duas fases, o que atrapalha quem quer investir neste mercado”, diz Paolinelli. “O produtor precisa estar preparado para qualquer eventual situação, para fugir da fase de grande oferta. Ou seja, priorizar a venda do seu produto em outras épocas de pouca demanda, a fim de valorizar o grão”.

 

O truque para boa valorização do milho, segundo Paolinelli, é investir em infraestrutura. “Se esse produtor tem capital para segurar o milho com armazenamento e pode estocá-lo mantendo a boa qualidade, é uma excelente alternativa”, explica. O ideal é esperar os meses que antecedem o plantio, quando os estoques estão mais baixos. Isso pode resultar em preços de venda mais altos.

 

Mercado online

Com as dicas de quem mais entende do mercado e o acompanhamento das ofertas de compra e venda no site da CBC Agronegócios, o produtor de milho tem as melhores ferramentas para fazer bons negócios. No site da CBC Agronegócios é possível acompanhar diariamente o fluxo de ofertas de milho em todas as regiões do país e escolher as melhor proposta para negociar sua produção.

Através da CBC Agronegócios você pode se conectar com milhares de empresas para comprar ou vender seus insumos agrícolas. Basta se cadastrar, colocar sua oferta ou negociar com outras partes. Clique aqui para se cadastrar

Já é cadastrado, crie seu hábito produtivo. Insira indicações e acompanhe mercado.