× ENTRAR CADASTRE-SE
oleo de palma banner

Mesmo com mais de 55% dos biocombustíveis ainda sendo produzidos com a soja, o óleo de palma vem ganhando mercado e promete um futuro promissor, tanto para a temporada de 2016/2017, quanto as seguintes.

A principal vantagem é que o Brasil vem se tornando referência na produção da palma-de-óleo e o governo brasileiro está abrindo portas para que a indústria cresça dentro e fora do país, como veremos nos tópicos seguintes.

Cabotagem reduz o custo de transporte

Em agosto deste ano, o primeiro lote de óleo de palma transportado por cabotagem marítima no Brasil chegou ao porto de Santos.

O lote experimental, de 2,6 mil toneladas, havia saído do terminal marítimo da Agropalma em Belém – PA, no fim de julho.

De acordo com a própria Agropalma (maior produtora de palma-de-óleo no país) essa operação está permitindo que produtores do Pará (estado que concentra a produção de palma-de-óleo) acessem os mercados do sul e sudeste com um custo logístico 50% menor do que o oferecido pelas vias ferroviárias.

Dessa maneira, todo óleo de palma bruto produzido no Pará pode ser despachado para São Paulo e então para a exportação, devido à baixa demanda nacional, bem como a falta de condições logísticas mais acessíveis para o transporte do óleo.

Nova refinaria de óleo de palma em São Paulo

A Agropalma inaugurou em agosto deste ano, com o investimento de 260 milhões de reais, uma unidade de refinamento de óleo de palma em Limeira, a 150 km da capital paulista.

A ideia da empresa é refinar o óleo bruto vindo do Norte, através do sistema de cabotagem que citamos acima.

Assim, os produtores do Norte poderão passar a abastecer as indústrias alimentícias, cosméticas e oleoquímicas de todo sul e sudeste do Brasil, conseguindo a saída do óleo de palma e garantindo um preço competitivo para o mesmo.

Alíquota do imposta sobre a importação do óleo de palma dobra

Em maio deste ano, o Gecex (Comitê Executivo de Gestão) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu subir de 10% para 20% a alíquota dos impostos sobre a importação do óleo de palma.

A taxação continuou mesmo para os países do Mercosul, através da inclusão do óleo de palma na lista do Letec (Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum do Mercosul).

Esse aumento da alíquota se deu depois de um pedido da Abrapalma (Associação Brasileira dos Produtores de Óleo de Palma), que foi apoiado diretamente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Tal medida deve garantir a competitividade da produção brasileira e incentivar o investimento do setor privado neste mercado, como muito bem recomenda o Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma, que foi aprovado no Senado em abril de 2015.

Todas estas medidas estão fazendo com que o mercado do óleo de palma no Brasil expanda-se cada vez mais, garantindo preços competitivos e incentivando o investimento e produção privado na área.

Diante de tudo isso, é importante que tanto o produtor, quanto compradores, corretores e cooperativas consigam manter uma ampla visão do mercado de óleo de palma, tanto externo quanto interno.

Sendo assim, a CBC disponibiliza sua plataforma de negociação de commodities, 100% online e que conecta quem está vendendo com quem quer comprar, estejam eles no mercado interno ou externo, através de operações como Bid&Ask e leilões, que contam com salas exclusivas de negociação e intermediação.

Para saber mais sobre a plataforma de CBC clique aqui, se você já conhece e deseja se cadastrar, clique aqui!