× ENTRAR CADASTRE-SE

Por Evelyn Gomes

O tema de hoje impacta a vida de qualquer empreendedor, a contabilidade vai além da apuração de impostos a serem recolhidos, feita do modo correto será seu demonstrativo de resultados e guia para a tomada de ações estratégicas para maximizar os lucros do seu negócio. E ter uma contabilidade direcionada para os setores agrícola, agropecuário, agroindustrial e zootecnia é de suma importância já que esses agentes lidam com grandes instabilidades sejam pelos riscos envolvidos na produção e/ou fatores mercadológicos, variação de preços e até mesmo fatores climáticos como já vimos por aqui.

O foco da contabilidade rural é o patrimônio, e para se chegar ao patrimônio líquido desse empreendimento é necessário avaliar os ativos como: o caixa, terra, equipamentos, fertilizantes, sementes etc.; e os passivos: como as despesas, empréstimos bancários, folha de pagamento e afins. Com esses números em mãos, é possível fazer a formação de custo e estabelecer a margem de lucro dos seus produtos, isso porque as empresas rurais têm uma dinâmica diferenciada de custos como a preparação do solo, plantio, irrigação e colheita que só se transformaram em receitas alguns meses depois impactando assim o fluxo de caixa.

Outro benefício da contabilidade rural é o da previsibilidade, como dissemos acima, ela pode ser o seu guia inclusive no quesito previsão, ela pode te ajudar a não passar por apuros financeiros no período entressafras, na criação de um caixa reserva para as próximas produções e ainda auxiliar na prevenção de futuros problemas, mostrando quais são os pontos gerenciais que você deve estar atento.

 Agora que já entendemos a importância da contabilidade rural nos nossos negócios precisamos entender como ela funciona na prática e quais são os passos a seguir:

  • Inventário:

O primeiro passo é a listagem dos ativos e passivos do negócio para que possamos achar o valor patrimonial, em outras palavras, o valor líquido. Nesse levantamento estão presentes: valor disponível em conta, máquinas e equipamentos, imóveis, estoque de produção e contas a pagar e a receber, também é necessário definir valores monetários para ativos como árvores frutíferas. Porém aqui é preciso ter cuidado para não misturarem as despesas pessoais com as da atividade rural.

  • Registro de Perdas:

Essa é a parte que ninguém gosta de contabilizar, as perdas, afinal ninguém gosta de sofrer com isso, não é mesmo? Contudo, é necessário constar nos relatórios contábeis, devendo ser registrado como despesa não operacional, porque ela foge do controle da gestão do negócio como são as infestações de pragas, incêndios, enchentes, inundações, tempestades com ventos fortes e granizos, entre outros.

  • Culturas Temporárias e Permanentes:

É preciso incluir nos registros qual é o tipo de cultura, isso porque, as temporárias são de curto a média duração, onde geralmente o ciclo vegetativo é inferior a um ano e na sequência da colheita será realizado um novo plantio. Os produtos são ativos circulantes que dão retorno no curto prazo enquanto os passivos, isso é, todos os custos precisam ser calculados como trabalhadores, combustível e insumos. Enquanto as culturas permanentes com ciclos vegetativos superiores a um ano são ativos não circulantes por darem retorno a longo prazo.

  • Ciclos Operacionais:

Esses ciclos estão diretamente ligados ao tipo de cultura já que esse é o motivo da variação do ciclo de produção, e por que ele é importante para a contabilidade?

Porque os ciclos podem ser superiores a 12 meses entre o plantio e a venda para o consumidor final, e assim não correspondem a um ano fiscal.

  • Registros Contábeis:

Esses são de obrigação do contador, e neles devem englobar todos os tópicos acima, e é de sua responsabilidade realizar o cálculo de encargos trabalhistas, encargos financeiros, apuração de impostos e o de renda. Nesses documentos é importante constar informações além das tradicionais como:

  • Avaliação dos bens;
  • Estoque de produtos agrícolas;
  • Despesas pré-operacionais;
  • Ativos da empresa rural;
  • Elaborar um Fluxo de Caixa:

Esse é um relatório que registra todas as entradas de receita, isso é, entrada de dinheiro através de vendas à vista e a prazo, rendimentos de aplicações e cartões além de anotar todas as saídas do caixa, em outras palavras, todos os pagamentos já realizados ou pendentes de efetivação. Para a realização dessa tarefa você pode criar planilhas no computador ou até mesmo contratar um ERP que te ajude a automatizar o processo.

Contem para a gente se desejam saber mais a respeito de contabilidade rural!