× ENTRAR CADASTRE-SE

Por Evelyn Gomes

Temas relacionados à tecnologia estão diariamente presentes nos noticiários nacionais e internacionais, inclusive nós da CBC Agronegócios já trouxemos por aqui matérias a respeito de conectividade, novos produtos e como eles podem ser úteis na rotina da sua propriedade. E, o tema de hoje promete revolucionar as formas de negociação e pagamento de máquinas, safras e até mesmo a obtenção de crédito.

A tokentização é a tendência do momento através do armazenamento de moedas digitais por meio de blockchains. Se você ainda não está familiarizado com esses termos, vamos fazer um breve resumo antes de indicar os benefícios no agro. 

O token digital é a representação digital criptografada de um bem que pode ser um ativo real, intangível, digital, um direito, produto, serviço e até mesmo valores monetários convertidos em criptomoedas como o Bitcoin e a Etherum. Esses tokens são criados a partir de dois instrumentos essenciais, o blockchain e os contratos inteligentes que tem facilitado a digitalização de negócios. 

O blockchain nada mais é do que um banco de dados distribuído, ou seja, sem servidor e/ou controle central composto de uma quantidade incalculável de supercomputadores denominados de nodes (nós da rede) cuja capacidade de processamento é de grandes volumes de transações em altíssima velocidade. 

Por meio das blockchains todas as transações são criptografadas e registradas como em um livro-razão-digital, e as movimentações devem ser validadas por todos os computadores da rede sem exceção cujos nodes necessitam apresentar a mesma posição de saldos (entre ofertantes de tokens e tokentistas) impedindo que sejam realizadas fraudes. 

O contrato inteligente por sua vez é um documento digital criptografado que apresenta todas as condições das ofertas de tokens como duração da oferta, quantidade de tokens a ser negociada, valor unitário do token, cláusulas da negociação e condições de execução, obrigações e remuneração aos investidores que podem ser periódicas ou esporádicas. A execução desses contratos é 100% digital sem nenhuma interferência humana o que garante a integridade da operação.

Existem diversos tipos de token, entre eles, os NFTs (Non Fungible Tokens) comumente utilizados no mundo das artes e dos jogos, eles são utilizados para negociar bens únicos e irrepetíveis. Utility Tokens ou Token de Utilidade são criptoativos desenvolvidos para oferecer serviços e produtos exclusivos para clientes, geralmente utilizados como estratégias de fidelização e estreitamento de relacionamento com clientes, um exemplo disso são os programas de fidelidade.

Os Tokens de Ativos Reais são uma das opções mais interessantes ao agronegócio já que veículos, equipamentos e máquinas, estoques, patrimônio pessoal, imóveis podem transformados em tokens abrindo uma janela de oportunidades para diferentes públicos a partir do fracionamento além de poder ser beneficiado através da flutuação do valor atrelado ao ativo. 

Os Security Tokens ou os Tokens de Segurança são a grande tendência do mercado e o mais interessante para o agro já que eles são lastreados em ativos negociáveis como ações, debêntures, garantias, obrigações e commodities que podem fazer parte da estratégia das empresas de captar recursos graças a possibilidade de fracionamento desses ativos e a regulação da CVM que atrai pequenos investidores. 

Além dos benefícios já descritos acima, no agronegócio é possível tokentizar estoques, direitos de safras futuros, produção leiteira de rebanhos. patentes, projetos agropecuários futuros, produções agrícolas e outros adicionando menos burocracia já que não há intermediários, sem limitação geográfica, disponibilidade total do sistema podendo ser acessado até mesmo do exterior.

O que acham da ideia da tokentização? Já pensaram aderir ao seu negócio? Contem para a gente!