× ENTRAR CADASTRE-SE

Por Evelyn Gomes

Recentemente falamos por aqui sobre a importância de prospectar clientes para o seu negócio bem como apresentamos algumas técnicas e claro ferramentas que te ajudem a melhorar o seu filtro para que você seja ainda mais assertivo, economizando tempo e claro dinheiro nessa busca. 

No entanto, essa etapa é apenas a primeira para a concretização de uma venda, seja ela recorrente ou esporádica, logo após você ter chamado a atenção do seu futuro cliente para a sua empresa e/ou produto e ele entender que é realmente o que ele busca, passamos para as fases de negociação. 

Há quem diga que negociar é uma arte, porém a verdade é que ela exige muito mais do que talento, para que uma negociação satisfaça ambos os lados são necessárias boas doses de paciência, disciplina e tempo. E, quando falamos sobre esses tópicos eles não estão relacionados apenas ao ato da negociação em si, eles fazem parte da sua preparação pessoal para negociar, afinal você precisa estar munido de informações que convençam o seu cliente sobre a sua expertise empresarial e a qualidade do seu item. 

Uma boa análise de mercado faz toda a diferença, além de estar ciente sobre os preços da concorrência você consegue compreender a sazonalidade de alguns itens, quais fatores impactam esse nicho, qual é a taxa de penetração do seu produto no seu segmento. Com esses dados, é possível definir prioridades de compra e venda e claro critérios para escolha da parceria que podem passar por qualidade, preço, prazo de entrega, prazo de pagamento, localização geográfica ou até mesmo se o parceiro será uma relação de curto ou longo prazo. 

Definidas as exigências a serem cumpridas, é hora da pesquisa especificamente sobre o seu parceiro, independentemente se ele se trata de um comprador ou vendedor, você precisa saber qual o grau de confiabilidade da empresa dele, o desempenho do produto, se eles cumprem as legislações, oferecem suporte para os serviços prestados além da qualidade no atendimento

Avaliadas as questões acima é hora de se atentar ao preço, a máxima “o barato sai caro” também pode ser utilizada no agro, já que é preciso estar atento às questões relacionadas à entrega que vão desde o custo de transporte, ao prazo de recebimento e o de pagamento, entretanto quanto menor o intervalo entre o faturamento e o dinheiro em conta, há chances de angariar melhores descontos. 

Outro ponto a ser levado em consideração é a sua urgência, que pode elevar os custos dependendo da oferta e demanda do produto. Porém, se você não quer perder horas frente ao computador ou no telefone realizando essas tarefas, fique atento aos conteúdos do blog onde você encontrará informações relevantes e atualizadas sobre o mundo do agronegócio e não perca as novidades que estamos apresentando em nossas redes sociais porque vamos revolucionar a maneira como você Negocia!

Gostaram das dicas? Também estão ansiosos pelas novidades? Contem para a gente e não esqueçam de manter seus dados atualizados na nossa plataforma para não perder nenhuma oportunidade de negócio.