× ENTRAR CADASTRE-SE

O escoamento de safras é um dos maiores desafios do agronegócio que impacta diretamente na produtividade do setor, a logística no agro ou logística rural é todo o processo de organização para que a produção seja entregue aos respectivos clientes sem grandes desperdícios. Por esse motivo, é preciso que o transporte das cargas seja bem planejado e executado para que consigam aumentar a já boa produtividade do setor que é responsável por 21,6% do PIB.

Usar a tecnologia pode ser um dos aliados nesse processo, o uso de aplicativos como a Brasil Fretes ajudam a conectar embarcadores, transportadoras e caminhoneiros para que você possa escolher as melhores rotas com os melhores preços para o despacho da sua produção. Aliais, o transporte por caminhões representa 75% de todo o produto transportado em nosso país é o que aponta pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral, já os outros 25% são divididos entre ferrovias, hidrovias e outros modelos.

Nós da CBC Agronegócios sabemos o quanto o frete impacta diretamente na formação de custos, preço de venda e no lucro dos produtores rurais e de toda a cadeia produtiva até chegar ao prato do consumidor. Saber qual o tipo de carga escolher, qual a modalidade de frete e quais as tarifas a serem pagas ajudam em uma tomada de decisão mais certeira, logo listamos abaixo todos os detalhes:

Quais são os tipos de carga?

  • Carga fechada ou lotação: carga de alto volume que ocupa todo o espaço do caminhão;
  • Carga Fracionada: transporte de pequenas quantidades de mercadorias variadas para diferentes destinatários;

Quais são as modalidades de frete?

  • FOB (“Free on Board – Livre a Bordo”): é quando o frete e os riscos da carga são assumidos pelo destinatário, porém o vendedor tem responsabilidade sobre a mercadoria do momento em que saiu de seu armazém até a entrega;
  • CIF (Custo; Seguro e Frete): é quando o fornecedor assume todos os riscos e os custos operacionais;

Como são calculados esses fretes?

  • Frete Valor: é calculada uma porcentagem sobre o valor da carga incluindo os custos obrigatórios de RCTR (Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga), além de possíveis despesas com extravios, avarias, violações e greves.
  • Frete Peso: a tarifa é calculada com base no peso da carga.

Quais são os tipos de contratação?

  • Frete Direto: a negociação é realizada entre o contratante e o transportador, a carga sai do remetente ao destino sem intermediários;
  • Frete por Subcontratação: acontece quando o transportador repassa o frete para outras empresas e fica responsável pelo gerenciamento de toda a logística da entrega;
  • Frete por Redespacho: quando o transportador realiza apenas parte da logística, seja ela a retirada da carga no remetente, a entrega no destinatário, ou então apenas parte do trajeto logístico.

Além de todas essas informações é preciso estar atento a tabela de piso mínimo do frete do transporte rodoviário de cargas estabelecido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) que inclusive sofreu reajustes de 11% a 14% no dia 18 do mês passado. Para saber se o preço pago pelo frete está sendo justo é importante se atentar a outras tarifas como:

  • Pedágios
  • GRIS (Gerenciamento de Risco e Segurança): A taxa que corresponde a 0,30% da Nota Fiscal ou R$ 3,00 como valor mínimo por CT-e (Conhecimento de Carga Eletrônico) que cobre os gastos com medidas de combate ao roubo de carga.
  • Seguro da Carga
  • E custos com a manutenção dos caminhões bem como as variações nos valores dos combustíveis.

E você, já sabia de todas essas informações? Qual a sua opinião sobre os valores cobrados de frete?