× LOGIN SIGN UP

Evelyn Gomes

O fim de março vem trazendo boas notícias para a economia brasileira, de acordo com o boletim Focus divulgado pelo Banco Central Brasileiro, no último dia 20, a última expectativa do PIB (Produto Interno Bruto) que havia oscilado entre 0,88% e 0,80% há um mês, foi elevada novamente para os 0,93%. 

As perspectivas de crescimento para 2024 são mais otimistas, pois as projeções apontam que no próximo ano é esperado um crescimento de 1,47% e um crescimento da atividade econômica de 2,34% contra apenas 1,61% previsto para esse ano. Apesar de um pouco mais distantes, os PIBs de 2025 e 2026 também já aparecem no radar com percentuais parecidos, 1,70% e 1,80% respectivamente. Além das suas estimativas do crescimento da atividade que tem como medianas 2,50% em 2025 e 2,42% para 2026. 

Outra boa notícia econômica é que o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou no dia 24/04, última sexta-feira, do PIB da Agropecuária em 2023 na casa dos 11,6%, mantendo a projeção de elevado crescimento após a atividade econômica ter apresentado quedas em 2022. 

A projeção vegetal mantém alta de 14,2% enquanto a produção animal que anteriormente apontava para um crescimento de 1,6% sofreu revisões e indica aumento apenas de 0,80%. Segundo o Ipea, a participação da produção vegetal no indicador tem se tornado cada vez mais significativa nos últimos anos e hoje representa 80% do PIB Agropecuário, surpreendendo até mesmo os pesquisadores do Instituto, José Ronaldo Souza Júnior e Pedro Garcia, que são autores do estudo.

Inclusive, a atualização dos pesos dos componentes do setor agropecuário posteriormente a divulgação dos resultados de 2022 e a compensação nas revisões das estimativas para esse ano motivaram a manutenção das projeções descritas na nota 26 da Carta de Conjuntura N 57. 

O IPEA aponta que a previsão do crescimento de Soja deve chegar em torno de 21,3% cuja perspectiva é boa em estados como Mato Grosso, no entanto, existe possibilidade de queda na safra de soja do Rio Grande do Sul. Porém ainda há boas notícias em relação às produções de milho e café que tendem a crescer 10,2% e 5,7% respectivamente enquanto o arroz e o trigo tendem a cair 6% e 13,8%.

Quando o assunto é produção animal, as notícias não são tão alentadoras já que está prevista uma desaceleração no crescimento da produção de suínos além de um cenário adverso para o leite. Por esse motivo ocorreram revisões para baixo em ambos segmentos. Suínos (crescimento de 2,2% contra 5% do último relatório), leite (de alta de 1,3% para queda de 1,4%). As expectativas para produtos bovinos também foram re-alinhadas crescendo a 0,2% enquanto as aves subiram 0,9%, os ovos por sua vez subiram de 3,5% para 4,4%. 

Gostaram de saber das projeções econômicas e do IPEA, contem para a gente quais são as suas impressões do mercado.