× LOGIN SIGN UP

Por Evelyn Gomes

A tecnologia do 5G já é uma realidade no Brasil, desde o leilão para a concessão das faixas de frequência ocorrido entre os dias 04 e 05 de novembro de 2021, o assunto tem movimentado as discussões em todos os setores da economia e obviamente o agronegócio não ficará de fora já que é um dos grandes beneficiados dessa nova era de conectividade.

Antes de explicarmos os efeitos práticos para o nosso setor, precisamos entender o que é o 5G e os detalhes dessa expansão, por isso, trazemos aqui algumas características que a diferenciam das redes que tínhamos disponíveis até pouco tempo como 4G, 3G e 2G. Entre todas as especificações, as principais são:

  • Taxa de dados de 10 a 100 vezes melhor que as redes 4G e 4.5G, atingindo até 10 Gbps;
  • Latência de 1 milissegundo;
  • Capacidade de mais de 100 dispositivos conectados por unidade de área em comparação com as redes 4G LTE;
  • Disponibilidade de 99,99%;
  • Cobertura de 100%;
  • Economia no consumo da rede de energia, que pode chegar até os 90%;
  • Duração da bateria de dispositivos conhecidos como integrantes do IoT (Internet das Coisas) de baixa potência;

Em outras palavras, esses dados técnicos indicam que a capacidade de conectividade será maior, mais rápida e eficiente podendo trazer ao campo tecnologias que permitam armazenamento de dados na nuvem, comunicação entre máquinas, integração e gerenciamento da gestão em tempo real o que garante maior eficiência e menor gasto com recursos não só para o produtor como também para o transporte e a sua função de escoamento de safras.

No entanto, você que é um pequeno ou médio empresário do setor pode estar imaginando que o acesso as essas oportunidades estão distantes da realidade, porém a boa notícia é que não. Ainda que você não tenha recursos suficientes para a compra de maquinários tão avançados ou não entenda de big data, inteligência artificial ou outros recursos, saiba que aplicativos que facilitam a comunicação e a negociação entre fornecedores e compradores como é o caso da CBC, já é considerado o uso de tecnologias.

Outro questionamento que pode estar pairando pela sua cabeça é a dificuldade do acesso a internet no campo e você tem toda a razão. Segundo dados do Ministério da Agricultura, atualmente apenas 23% das áreas rurais são cobertas por redes móveis, enquanto estudos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam que das 5 milhões de propriedades rurais no país, mais de 3,5 milhões operam de modo offline.

Isso acontece porque temos apenas 4.400 torres e antenas instaladas, e para demonstrar a importância da chegada do 5G o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) simulou dois cenários, o primeiro seria a instalação de mais 4.400 torres e antenas o que faria com que a cobertura em conexão móvel atingisse os 48% das áreas rurais o que já seria capaz de aumentar o Valor Bruto de Produção (VBP) em 47 bilhões de reais.

O segundo cenário, seria a instalação de 15 mil antenas o que aumentaria para 90% o total de áreas rurais com conectividade móvel o que geraria 100 bilhões a mais no Valor Bruto de Produção. Um outro ponto importante relacionado a concessão do 5G é que ainda que essa nova tecnologia não alcance todos os pontos do país, as operadoras estarão obrigadas a disponibilizar as redes já existentes como 4G, 3G e 2G. O que beneficiará os pequenos e médios empreendedores a terem mais escala na comercialização dos seus produtos.

Lembramos que as instalações dessas antenas se iniciarão pelas capitais do Brasil e acontecerão entre os anos de 2022 e 2029, e que apesar disso já se estima um crescimento de R$ 10 bilhões de reais no agronegócio até 2030.

Contem para a gente, o que acham do 5G? Como a Internet ou a falta dela impacta o seu negócio?