× LOGIN SIGN UP

Por Evelyn Gomes

Hoje é quinta-feira, 30/06, dia do nosso conteúdo especial #AGROPORESTADO, que é uma iniciativa da CBC que tem como objetivo mostrar os aspectos mais importantes de cada estado do nosso país dentro do agronegócio para que você possa estar munido de todas as informações para negociar mais e melhor dentro da nossa plataforma.

O estado de hoje é líder na produção nacional de açaí, abacaxi, cacau, dendê, mandioca e pimento do reino, o Pará, também se destaca na produção de limão, banana e coco. O agronegócio paraense corresponde a 21% do Produto Interno Bruto (PIB) absorvendo mais de 1,5 milhões de pessoas ocupando os postos de trabalhos regionais representando aproximadamente 42,68% do total de empregos.

A pecuária paraense ocupa a 4ª colocação no ranking nacional, com um rebanho de aproximadamente 22 milhões de cabeça (IBGE, 2017), incluindo o rebanho bubalino (513 mil cabeças), o maior do País, concentrado principalmente no arquipélago de Marajoara. A soja paraense representa 25% do valor exportado pelo setor que atingiu valores totais superiores a US$ 568 milhões em um volume de 1,4 milhões de toneladas. O grão também representa 30% do total da área de lavouras correspondente a 500,4 mil hectares.

Para se ter uma dimensão da importância da produção de Soja paraense, o estado tem três grandes polos: o do Nordeste, de maior expressão, liderado pela cidade de Paragominas; o do sul do Pará, tendo o município produtor, Santana do Araguaia; e o do Oeste, liderado por Santarém. Outro destaque da soja no estado é em relação a sua expansão que vem acontecendo em campos naturais e áreas já alteradas (áreas de pastagem), ou seja, não está utilizando área de floresta nativa, não contribuindo para o desmatamento.

O Pará ainda tem na avicultura, apicultura, florestas plantadas bastante relevância, contudo sua maior distinção com a concorrência são os seus rebanhos de elevado padrão genético assim como a qualidade da carne produzida na região. Padrão Sanitário é algo que os paraenses levam muito a sério isso porque, o estado desfruta do status de Certificação Internacional de Área livre de aftosa com vacinação. Esse é também um dos motivos pelos quais ele é o maior exportador de boi vivo além de apresentar enorme potencial na produção de carne, couro, leite, laticínios e derivados.

Outro tipo de cultura produzida em solo paraense eu tem ganhado grande destaque é o de cítricos, como é o caso do limão cultivado principalmente em Monte Alegre e que ocupa o segundo lugar no ranking brasileiro e a ampliação na cultura da laranja no polo de Capitão Moço propiciada pela implantação da primeira fábrica de sucos do Pará, considerada a maior das regiões norte e nordeste.

 E, se há ainda alguma dúvida em relação a importância do estado no agronegócio nacional, ela deixará de existir porque o Pará tem 4 cidades representantes na lista dos 100 municípios mais ricos do setor no Brasil, entre elas estão: Igarapé – Mirim na 29ª posição, Paragominas na 73º colocação, Cametá e Medicilândia nos 81º e 85º lugares tendo produzido juntos quase 2,5 bilhões de reais.

Gostaram do escolhido da semana? Nos deem sugestões para a próxima e não deixem de conferir os demais estados, por aqui já falamos de: Mato Grosso; Paraná; São Paulo e Bahia.