× ENTRAR CADASTRE-SE

Brasil supera os EUA e exporta mais Soja para a China

As importações chinesas de soja alcançaram o total de 95,5 milhões de toneladas no acumulado de 2017, alta de 13,84% em relação ao ano anterior, informou nesta quinta-feira, 25, o Departamento de Alfândega da China. No período, o Brasil foi o principal fornecedor da commodity, ao embarcar 50,9 milhões de toneladas, um avanço de 33,3%, seguido pelos Estados Unidos, que contribuíram com 32,8 milhões de toneladas, queda de 3,85%.

A Argentina ocupou a terceira posição entre os vendedores, com 6,58 milhões de toneladas entre janeiro e dezembro, recuo de 17,8% sobre a comercialização de igual intervalo em 2016. Em dezembro, os chineses compraram 9,54 milhões de toneladas da oleaginosa, aumento de 6,13% ante igual mês de 2016. Os Estados Unidos venderam 6,19 milhões de toneladas do grão, queda de 23,7%, enquanto os brasileiros exportaram 1,94 milhão de toneladas para o país asiático, um expressivo salto de 517% em relação a um ano antes.

Dentre os derivados da soja, a China adquiriu 653.436 toneladas de óleo de soja em 2017, alta de 16,64% na variação anual. Em dezembro, foram importadas 32.567 toneladas, redução de 11,4% ante dezembro de 2016. No farelo de soja, os chineses avançaram 238% em compras no total do ano, a 61.203 toneladas, comparadas ao acumulado do ano anterior. Já em dezembro, o país importou apenas 1.708 toneladas, baixa de 48,34% em relação ao igual intervalo do ano anterior.

As importações chinesas de milho chegaram a 2,82 milhões de toneladas em 2017, retração de 10,7% sobre o acumulado de 2016. O principal fornecedor do cereal é a Ucrânia, cujas vendas foram de 1,82 milhão de toneladas, 31,5% menores que as do ano anterior. Os ucranianos tiveram o market share perdido para os exportadores dos Estados Unidos, que subiram 239,2% nas vendas anuais do cereal, a 756.635 toneladas. Em dezembro, a China adquiriu 454.151 toneladas, alta de 221,1% ante dezembro de 2016.

De trigo, os chineses importaram 4,3 milhões de toneladas entre janeiro e dezembro de 2017, aumento de 27,3% comparado a igual intervalo de um ano antes. Os australianos ocupam a primeira posição no fornecimento, com 1,9 milhão de toneladas, alta de 38,7%, seguidos pelos norte-americanos, que venderam 1,55 milhão de toneladas, avanço de 80,3%. Em dezembro, a China comprou 181.031 toneladas do cereal, quantidade 18,97% menor que o de igual mês do ano anterior.

No mercado de açúcar, a China importou 2,3 milhões de toneladas no total de 2017, redução de 25% quando comparada ao nível de compras de 2016. Na mesma linha, em dezembro, os chineses adquiriram 132.774 toneladas da commodity, o que significou um recuo de 39% ante dezembro de 2016.

As aquisições de óleo de palma pela China atingiram 5,07 milhões de toneladas em 2017, ganho de 13,42% na variação anual. A Indonésia registrou acréscimo de 21,62% nas vendas do ano e a Malásia subiu 1,8%. Em dezembro, os chineses compraram 567.077 toneladas do produto, queda de 16,53% em relação a um ano antes. Fonte: Dow Jones Newswires.

Através da CBC Agronegócios você pode se conectar com milhares de empresas para comprar ou vender seus insumos agrícolas. Basta se cadastrar, colocar sua oferta ou negociar com outras partes. Clique aqui para se cadastrar

Já é cadastrado, crie seu hábito produtivo. Insira indicações e acompanhe mercado.

Conteúdo produzido pelo Canal Rural