× ENTRAR CADASTRE-SE

Por Evelyn Gomes

Hoje é quinta-feira, 24/06, dia do nosso conteúdo especial #AGROPORESTADO, que é uma iniciativa da CBC que tem como objetivo mostrar os aspectos mais importantes de cada estado do nosso país dentro do agronegócio para que você possa estar munido de todas as informações para negociar mais e melhor dentro da nossa plataforma.

O estado de hoje tem 9 cidades na Lista dos 100 municípios mais ricos do agronegócio segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estando duas em posições de grande destaque como São Desidério que figura na segunda colocação com um valor de produção estimado em R$ 4,6 bilhões sendo o segundo maior produtor nacional de algodão e Formosa do Rio Preto que produziu o equivalente a R$ 3,74 bilhões conseguindo o posto de quinta colocada na listagem sendo o maior produtor de soja, o terceiro maior produtor de algodão e o segundo maior produtor de milho baiano.

Para a Bahia o agronegócio é um setor estratégico e de extrema importância já que 24,3% da geração de riquezas que compõe o PIB (Produto Interno Bruto) do estado é originado a partir dele. O estado também é considerado o maior produtor de grãos da Região Nordeste nas culturas de soja, algodão e milho e segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) é 8º no ranking nacional de produção de grãos.

Os produtos baianos representam 13% de tudo que é exportado pelo Brasil, o estado está na oitava posição nacional e dentre os produtos com maior representatividade estão a soja (39,6%), flores (32,4%), fibra (9,5%), cacau e seus derivados (6,8%) e frutas (4,0%). E por falar em frutas, a Bahia é o 2º maior produtor de frutas frescas e 3º maior exportador nacional delas.

Não há quem bata o estado quando se fala na produção de banana, coco, manga, mamão, maracujá e não para por aí porque os baianos são os terceiros colocados nacional nas culturas de melancia e limão e ainda há espaço para o cultivo de uvas, cacau, café, feijão e outros. Isso acontece porque a Bahia desfruta de um clima favorável proporcionado pela altitude da Chapada Diamantina que possibilita duas ou mais colheitas ao ano além de terras aptas com recursos hídricos para a irrigação que inclusive indicam altos índices de produtividade e estrutura pós-colheita.

Esses fatores somados à localização do estado para o escoamento da produção

têm atraído produtores de ameixa, morango, caqui e uva para produção de vinhos finos. Inclusive, os produtores baianos são conhecidos pelos índices de qualidade acima do exigido pelas normas do mercado interno e do exterior como os Estados Unidos, União Europeia e Mercosul.

O Governo do Estado da Bahia entende o quão importante é fomentar o desenvolvimento da indústria do agronegócio no estado e por esse motivo estabeleceu novas políticas de agroincentivos e apoio à realização de novos investimentos agropecuários e agroindustriais através de sua Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (SEAGRI), como é o caso do programa DESENVOLVE além dos incentivos abaixo:

  1. “Dilação do prazo de pagamento, de até 90% do saldo devedor mensal do ICMS normal, limitada há 72 meses;
  2. Diferimento do lançamento e pagamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) devido, relativo à aquisição de bens destinados ao ativo fixo, para o momento da desincorporação do bem.”

Na tentativa de também trazer mais investimentos externos e empresas para a região.

Vocês já conheciam a variedade de produtos que a Bahia oferece? Já negociam com os baianos?

Não esqueçam de conferir os outros estados do nosso #AgroPorEstado: Mato Grosso; Paraná e São Paulo.